10/10/07

Epístola de São Paulo












Ainda que eu fale

as línguas dos homens e dos anjos,

se não tiver Amor...serei como o bronze que soa,

ou como o címbalo que retine.

Ainda que eu tenha o dom de profetizar,

e conheça todos os mistérios

e toda a ciência,

ainda que eu tenha tamanha fé

ao ponto de transportar montanhas,

se não tiver Amor...nada serei.

E ainda que eu distribua

todos os meus bens aos pobres,

e ainda que entregue

o meu próprio corpo para ser queimado,

se não tiver Amor...nada disso me aproveitará.

Amor é paciente, é benigno,

o Amor não arde em ciúmes,

não se ufana, não se ensoberbece,

não se conduz inconvenientemente,

não é egoísta, não se exaspera,

não se ressente do mal,

não se alegra com a injustiça,

mas regozija-se com a verdade...

tudo sofre, tudo crê...

tudo espera, tudo suporta.

Sem comentários: