20/08/08

Coração Remendado

Não gosto de aproximar-me de um coração despedaçado com palavras, pois uma só sentença que diga pode fazê-lo quebrar-se de vez. Sem palavras adequadas, prefiro aproximar-me em silêncio e deixar que o tempo o ajude a sarar. Tal como ninguém deve remendar vestido novo com pano velho, pois este repuxa o novo e torna-o pior que antes, não quero ver um coração quebrar-se por causa dos meus velhos hábitos. Se aprendi que o coração sente de determinada forma e me determino a pensar que é a mais certa, então serei como as estátuas de pedra que não quebram e ali ficam ao sabor do vento e da chuva. Prefiro esvaziá-lo do que o oprime e depois enchê-lo de novo. Se alguém o remendar muitas vezes, ele ficará sem graça, tal como uma bola de trapos que as crianças abandonam porque está velha. Quando o coração está demasiado rememdado, passam a contar-se as suas costuras e espera-se que novas venham. A certo ponto, ele será como carpete velha que repuxa por todo o lado. Tal como não se deve encher barril velho com vinho novo, o coração deve ser limpo antes das águas límpidas entrarem. Um coração livre e limpo é como arrancar um fruto novo com o orvalho da manhã e comê-lo de seguida.

Sem comentários: